Music‎ > ‎

Duo

PT | EN

Ulrich Mitzlaff em violoncelo e Miguel Leiria Pereira em contrabaixo, apresentam dez peças musicais de improvisação livre gravadas em 2004 em que a linguagem recupera ideias que foram exploradas por compositores do sec. XX. Apesar destas referências idiomáticas, é explorado também um lado não-idiomático e mais introspectivo, em que a forma musical se baseia em imagens ou aspectos formais discutidos pelos dois músicos e aplicados numa espécie de composição em tempo real. A exploração timbrica, a dinâmica e expressividade são aspectos que fortemente caracterizam as peças do "Duo".

Conceito das peças
A proposta musical apresentada em “Duo” divide-se em três grupos de peças improvisadas. O primeiro grupo divide-se em duas partes. Em Perseguição e Insects temos imagens que foram discutidas pelos músicos e interpretadas segundo a subjectividade dos mesmos; e em Machine e Minimal temos de certa forma o oposto, a música foi improvisada de forma totalmente livre e depois de analisada teve um nome. Temos portanto neste primeiro grupo, as ideias de à priori e à posteriori misturadas com imagens sugeridas, que de uma forma ou de outra, são sempre sobre objectos imaginários. No segundo grupo, em Koi, Stones e Palha d´Aço, há uma interacção directa dos músicos com objectos reais. No caso de Koi, começou-se por alimentar carpas koi e tentou-se interagir com o som das mesmas, o som da água e própria coreografia visual dos peixes foi algo que nos inspirou musicalmente. Numa segunda fase foram gravados mais sons e feito um arranjo musical sobre o primeiro take gravado. Em Stones e Palha d’aço os músicos interagem com os objectos em tempo real. O que une as experiências musicais deste grupo é a ideia de interagir realmente com algo exterior aos instrumentos. No terceiro grupo, os Intermezzos I, II e III, como o próprio nome sugere são peças de ligação entre as dos dois grupos anteriores, no entanto, cada uma delas explora linguagens e expressividades distintas. Só dois aspectos unem os Intermezzos, o timbre visto que todos são tocados em pizzicato, e ideia da imagem que representam, que deixamos em aberto à imaginação dos nossos ouvintes.

Audio

2004